AS RECENTES PERSPECTIVAS LEGITIMATÓRIAS DO JUDICIAL REVIEW NO CONSTITUCIONALISMO ATUAL DEMOCRÁTICO

Autores

  • Larissa Waked Furtado

DOI:

https://doi.org/10.47595/cjsiurj.v2i1.33

Palavras-chave:

Constitucionalismo, Democracia, Revisão Judicial

Resumo

Na contemporaneidade observa-se uma necessidade em relevar a legitimidade de juízes não eleitos para rever as disposições políticas tomadas na seara dos órgãos representativos de anseio popular. Nesta conjuntura, o problema aqui abordado sintetiza  um conflito político entre as cortes judiciais e os campos legislativos que se encontram presentes em uma sociedade democrática como a brasileira. Portanto, com vistas a analisar o ambiente elementar do neoconstitucionalismo, bem como a sua plausível aparência na contemporaneidade, o presente estudo tem por objetivo revisar as atuais perspectivas legitimatórias do Judicial Review frente ao constitucionalismo atual democrático. Como justificativa para o desenvolvimento do presente estudo, observa- se que há distintos pontos de vistas acerca da probabilidade, bem como da validade dos tribunais constitucionais retirarem normas do ordenamento jurídico. Portanto, enxerga-se uma oportunidade de tratar acerca de análises que abordam um possível conflito existente entre o direito e a política no constitucionalismo hodierno. Esta pesquisa é de natureza qualitativa, do tipo exploratória-descritiva e utiliza como metodologia de pesquisa a revisão bibliográfica. Concluiu-se que a revisão judicial, um dos grandes focos de discussão na teoria constitucional norte-americana da segunda metade do século XX, amparada nas teses do constitucionalismo democrático e procedimentalista, robustece os valores democráticos a partir do neoconstitucionalismo, consolidando e efetivando os direitos básicos. 

Biografia do Autor

Larissa Waked Furtado

Programa de Pós-Graduação em Direito, Faculdade de Direito, Universidade Portucalense, Porto, Portugal.

Referências

ARMENGOL, C. M. V. (2012). El derecho constitucional del siglo XXI em latinoamérica: Un cambio de paradigma. In Estudios sobre el nuevo constitucionalismo latinoamericano. Tirant lo Blanc.

BARBOSA, M. L. (2015, fevereiro 19). Democracia direta e participativa: Um diálogo entre a democracia no Brasil e o novo constitucionalismo latino americano [DoctoralThesis]. UNIVERSIDADE FEDERAL DE PERNAMBUCO. https://repositorio.ufpe.br/handle/123456789/15223

BARROSO, L. R. (2010). Interpretação e aplicação da constituição: Fundamentos de uma dogmática constitucional transformadora (7o ed). Saraiva.

CABRAL, B. F. (2013). Suprema Corte dos Estados Unidos: Temas Polêmicos. Editora Baraúna.

CARNEIRO, B. L. V. (2015). O controle jurisdicional das políticas públicas: Possibilidades, limites e parâmetros. 65.

CHAVES, C. T., & ALMEIDA, G. A. de (Orgs.). (2015). Democracia e Subjetividade: Abordagens Interdisciplinares (1a edição). Editora D’Plácido.

CLÉVE, C. M., & LORENZETTO, B. M. (2016). Governo democrático e jurisdição constitucional (1a edição). Fórum.

COLÓN-RÍOS, J. (2013). Beyond Parliamentary Sovereignty and Judicial Supremacy: The Doctrine of Implicit Limits to Constitutional Reform in Latin America. Victoria University of Wellington Law Review, 44, 521.

CRISTÓVAM, J. S. da S. (2015). Administração Pública Democrática e Supremacia do Interesse Público—Novo Regime Jurídico-Administrativo e seus Princípios Constitucionais Estruturantes—Apresentação de Ubaldo Cesar Balthazar—Prefácio de Humberto Ávila, José Sérgio da Silva Cristóvam. Juruá Editora. https://www.jurua.com.br/shop_item.asp?id=24063

DALMAU, R. M. (2011). El proceso Constituyente: La activación de la Soberanía. In Ahora és cuando, carajo? El viejo topo.

DALMAU, R. M. (2012). La naturaleza emancipadora de los procesos constituyentes democráticos: Avances y retrocesos. In Por una asamblea constituyente: Una solución democrática a la crisis. Ediciones Sequitur.

DIMOULIS, D., & LUNARDI, S. G. (2016). Dimensões da constitucionalização das políticas públicas. Revista de Direito Administrativo, 273, 237–267. https://doi.org/10.12660/rda.v273.2016.66662

FADEEV, W. I., & SCHULZE, C. (2013). Bundesverfassungsgericht und Gesetzgebung. In Verfassungsgerichtsbarkeit in der Russischen Föderation und in der Bundesrepublik Deutschland: Rundtischgespräch an der Moskauer Staatlichen Juristischen Kutafin-Universität am 9. Und 10. Oktober 2012. Universitätsverlag Potsdam.

GROSS, A. F. (2016). Controle Judicial de Políticas Públicas: Uma abordagem a partir do Consequencialismo. Revista Jurídica da Procuradoria-Geral do Distrito Federal, 41(1), 150–167.

KREUTZFELD, B. (2013). O ativismo judicial na implementação de políticas públicas.

MASSON, N. (2020). Manual de Direito Constitucional (2020)—Editora Juspodivm. https://www.editorajuspodivm.com.br/manual-de-direito-constitucional-2020

PASTOR, R. V. (2012). Fundamento teórico del nuevo constitucionalismo latinoamericano. In Estudios sobre el nuevo Constitucionalismo Latinoamericano. Tirant lo Blanc.

PIGNATARI, A. A. C. G. (2012). Eficácia subjetiva das decisões judiciais no controle difuso-incidental de constitucionalidade. Revista da AJURIS, 39(125), 13–54.

REIS, I. C. (2014). Limites à legitimidade da jurisdição constitucional: Análise retórica das cortes constitucionais do Brasil e da Alemanha [DoctoralThesis]. Universidade Federal de Pernambuco. https://repositorio.ufpe.br/handle/123456789/11241

SANTAMARÍA, Á. (2011). El neoconstitucionalismo transformador: El Estado y el derecho en la Constitución de 2008. http://repositorio.uasb.edu.ec/handle/10644/2984

SANTOS, G. F. (2011). Neoconstitucionalismo, Poder Judiciário e Direitos Fundamentais (1a edição). Juruá Editora.

SCHELEDER, A. F. P., & ROBI FILHO, I. N. (2016). Jurisdição Constitucional e Democracia. Editora da Univali. https://emporiododireito.com.br/leitura/livro-jurisdicao-constitucional-e-democracia-disponivel-para-download

SOARES, D. V. B. (2017). Reconstruindo o conceito de independência judicial: um olhar realista sobre o lugar do supremo na política. https://core.ac.uk/reader/231259020

VICENTE, P., & ALEXANDRINO, M. (2015). Direito Constitucional descomplicado. Forense. https://www3.livrariacultura.com.br/direito-constitucional-descomplicado-2112256374/p

Downloads

Publicado

09/04/2021

Como Citar

Waked Furtado, L. (2021). AS RECENTES PERSPECTIVAS LEGITIMATÓRIAS DO JUDICIAL REVIEW NO CONSTITUCIONALISMO ATUAL DEMOCRÁTICO. Revista De Ciências Jurídicas E Sociais - IURJ, 2(1), 153-171. https://doi.org/10.47595/cjsiurj.v2i1.33